Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe
 
Lei da parentalidade discutida em Madrid

Com a participação de três representantes da Comissão de Mulheres da UGT – Paula Esteves (presidente), Clara Quental (vicepresidente daquele órgão e directora do SBN) e Fátima Martins (Sitese) – decorreu em Madrid, entre 17 e 19 do passado mês de Dezembro, por iniciativa da Unión Sindical Obrera (USO), um seminário sobre negociação colectiva, igualdade de oportunidades e acesso das mulheres a cargos de poder, em que participaram também a CGTP e centrais sindicais da Eslovénia, Itália, Polónia e Roménia.

Na oportunidade, Clara Quental, falou sobre as questões da parentalidade e do tratamento desigual com que as mulheres são tratadas. Curiosamente – ou talvez não… – as representantes espanholas citaram casos de boas práticas naquele país, de que sobrelevam o Banco Santander e o El Corte Inglés, grupos que foram premiados pela aplicação de políticas correctas naqueles âmbitos. Tais exemplos tornaram-se mais chocantes para as representantes do nosso país, onde aqueles grupos aplicam práticas bem diversas, pela negativa.

Duas outras questões levantadas quedaram-se em torno da defesa dos empregos verdes e do facto de as mulheres, apesar de contribuírem para o produto interno bruto com valores muito substanciais, serem as primeiras a ser penalizadas, com números elevadíssimos no que toca à taxa de desemprego e ao número incalculável de empregos precários.

Por fim, foi feito um apelo a uma maior intervenção das mulheres na negociação colectiva, uma vez que só nessa sede podem modificar as circunstâncias que as penalizam e inverter as práticas perversas, melhorando o que está preceituado, em termos de regulamentações colectivas de trabalho, inclusivamente no que diz respeito à problemática do assédio moral.

 

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN